Blog

Zumbido no ouvido – Veja as 5 causas mais frequentes

Zumbido no ouvido

Zumbido no ouvido – Veja as 5 causas mais frequentes

Também chamado de tinnitus, o zumbido no ouvido é um distúrbio que faz com que o indivíduo escute um barulho incômodo sem a existência de uma fonte sonora.

Na maioria dos casos, os ruídos aparecem como consequência de um processo de perda auditiva, que pode ser causado por diversos problemas ou hábitos. O zumbido pode ser passageiro ou acompanhar a pessoa pelo resto de sua vida.

Zumbido no ouvido

Conheça as principais causas do zumbido no ouvido

As principais causas do zumbido no ouvido são:

– Depressão: Estudos mostram que até 60% dos pacientes com zumbido crônico têm depressão e 45% apresentam ansiedade. Por isso, uma abordagem psicológica e psiquiátrica muitas vezes é fundamental no tratamento do zumbido.

– Doenças cardiovasculares: algumas dessas doenças prejudicam a irrigação dos vasos sanguíneos do ouvido

– Perda de audição: A perda de audição sinaliza que as células do ouvido se lesionaram. Nesse caso, o sistema responsável pela audição tenta compensar a falta de estímulo auditivo com o zumbido. Pessoas que apresentarem zumbido constante devem procurar um médico para receberem o tratamento adequado.

– Diabetes: Um alto nível de insulina também pode causar a perda de audição, por prejudicar os estímulos elétricos das vias neurais, responsáveis por enviar a informação do ouvido para o cérebro. Ter o diabetes controlado é ponto chave para o zumbido não ocorrer nesse caso.

– Dores no pescoço: Dores na região do pescoço provocadas por tensão ou ansiedade, por exemplo, fazem com que o corpo libere substâncias estimulantes para atenuar o problema. Essa ação, no entanto, também estimula as vias auditivas e provoca o zumbido. Fisioterapia e massagem são formas de atenuar essas dores e diminuir o risco de zumbido.

Mais causas de Ruido no ouvido: Bônus

– Café: Por ser uma substância estimulante, a cafeína pode aumentar a intensidade da atividade das células auditivas, lesionando-as e desencadeando o zumbido.

– Cera acumulada no ouvido: O acúmulo excessivo de cera nos ouvidos dificulta o trabalho das células auditivas. Nesses casos, a remoção da cera e o tratamento da infecção na maioria dos casos acabam com o problema.

Como podemos ver diversos fatores ocasionam o zumbido no ouvido, por isso é extremamente necessário tomarmos cuidados em nosso dia a dia para aumentar e melhorar nossa saúde como um todo.

Vá sempre ao médico e faça check ups quando necessário para melhorar sua qualidade de vida e para prevenir possíveis desgastes que seu corpo possa ter que te prejudique.

Em casos de dúvidas procure um profissional.

Veja também:

Perda auditiva em idosos

Uso de fones e a perda auditiva

Perda auditiva em idosos

A surdez ao envelhecer, chamada de presbiacusia, faz parte do processo degenerativo relacionado a passagem natural dos anos e a morte de algumas células do corpo. Entretanto, questões genéticas e condições específicas como diabetes, hipertensão e tabagismo podem acelerar esse processo.

Uma pesquisa da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia apontou que as pessoas demoram cerca de 7 anos para procurar um especialista após perceber algum dano à audição e depois mais 2 anos para iniciar de fato um tratamento. Toda essa demora pode resultar em uma surdez definitiva.

Um dos sintomas iniciais que deve chamar a atenção do idoso – ou das pessoas próximas – é a dificuldade de falar ao telefone ou de compreender as palavras que são ditas durante uma conversa.

Quando a perda auditiva está em grau leve não se torna necessário o uso de aparelhos, mas após evoluir para um grau moderado ou grave, os aparelhos auditivos podem auxiliar o idoso a manter uma boa relação social.

O aparelho, no entanto, não interfere na compreensão e a orientação é que as pessoas próximas falem devagar para facilitar a leitura orofacial.

A surdez na melhor idade pode gerar uma angústia muito grande que com o tempo pode ocasionar em uma depressão ou isolamento, por isso é muito importante que os familiares estejam atentos a algumas reações como impaciência, distração ou mau humor.

Não é possível evitar a degeneração devido a idade, mas quando tratada a tempo, existem cuidados que proporcionam uma melhor qualidade de vida ao idoso.

Uso de fones e a perda auditiva

Com smartphones, tablets e outras tecnologias cada vez mais presentes em nosso cotidiano, os fones de ouvido acabam sendo indispensáveis, seja para ouvir música, assistir vídeos ou para se comunicar.

Mas apesar de extremamente úteis, eles podem causar alguns problemas como zumbidos ou perda auditiva induzida por ruído.

Os dados parecem exagerados, mas a previsão da Organização Mundial da Saúde (OMS) é que cerca de metade dos jovens entre 12 e 35 anos – cerca de 1,1 bilhão de pessoas em todo mundo – correm o risco de sofrer perda auditiva.

Os principais comportamentos que fazem do fone, um vilão, são:

– Exposição prolongada

– Volume excessivo

Mas como saber que o volume está excessivo? É simples. Se as pessoas ao seu redor podem ouvir o que está tocando no seu fone ou ao retirar você ouve um zumbido, ou sente que o som do local está abafado, é sinal de que precisa reduzir o volume.

Em relação ao tempo, faça pausas de uma hora a cada duas horas de escuta. Assim você garante que sua orelha esteja descansando de ruídos por um bom tempo.

Mantenha 60% do nível máximo (a maioria dos smartphones mostra a porcentagem) ou utilize fones externos (aqueles maiores que ficam sobre a abertura da orelha) e também são considerados mais saudáveis por conta da distância entre tímpanos e auto falantes.

Mesmo com todos os cuidados você está sentindo dificuldade para ouvir em alguns momentos? Procure um fonoaudiólogo que possa avaliar e quem sabe recuperar a sua saúde auditiva.

Scroll to top